segunda-feira, outubro 01, 2012

Desorientação

A desorientação começou no governo, mas espalhou-se como lepra.  O estado geral do país é de total  desorientação.
As manifestações manifestam descontentamento, mas estão sem objetivo.  Se descontarmos o silêncio da Fenprof, que perdeu o pio mal o Crato  se mudou para a 5 de Outubro, nem o Bloco nem o PCP tiveram de mudar uma virgula ao guião que usavam contra Sócrates. Se o governo de Passos cair, o mesmo guião servirá  para o próximo, e assim sucessivamente…
No quadro constitucional vigente, estes partidos não estão disponíveis para governar. No entanto, não passa uma legislatura sem apresentarem uma moção de censura. Está no guião.
Se nem o BE nem o PCP se dispõem a contribuir para uma solução de governo no quadro vigente,  no PS, Seguro não está nada seguro de querer governar.
Acresce que, apesar do que se grita nas ruas, a Troika não é descartável. Aliás, quem tentou  evitar que ela viesse foi Sócrates, ao contrário de muitos dos que agora querem correr com ela.
De facto foi  o BE, o PCP, o PSD, o CDS e o Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, que abriram as portas à Troika ao rejeitarem o PEC IV, empurrando o país para o beco sem saída em que se encontra. Desde esse malogrado dia de Março de 2011, já tivemos que aguentar dez vezes mais austeridade que a prevista no PEC IV, e a situação do país piorou em todas as vertentes: Desemprego, défice, divida pública, recessão... Vejam os números.
Para cúmulo, não passa um dia sem que alguém do governo nos venha insultar ( piegas, cigarras, ignorantes), responsabilizando-nos por todo  mal que nos acontece.
A desorientação é tal que já se  ouvem vozes, apelando à intervenção do Presidente da República. Como se, depois da razia que fez na capoeira, a raposa desse um bom  cão de guarda…

2 Comentários:

Às 01/10/12, 21:18 , Anonymous Anónimo disse...

Dizem eles que o ajustamento tem
sido brilhante!?! Só porque a
balança do comércio externo mostra
a quebra de importações! O resto é
considerado como "danos colaterais"!

 
Às 02/10/12, 11:11 , Blogger J. Cosme disse...

Não tenho o dom da adivinhação.
Seria muito útil nos tempos que correm...
O que sei é que as coisas não podem continuar como estão, a menos que se tenha como objetivo acabar de vez com a última possibilidade de salvar o país.
E é tal a falta de confiança e o receio acerca do futuro imediato, que até já alguns dos grandes apoiantes desta direita ultra reacionária, como ratos, se vão já afastando do barco que mete água por todos os lados.
O problema que as alternativas partidárias não existem simplesmente. O atual PS, muito pior que o anterior, não tem rumo nem projeto (o único que tinha, foi engavetado há muitos anos pelo pai fundador...), nem gente visivelmente capaz. Este é que é o problema grave que leva tanta gente a manifestar-se, aparentemente sem objetivo. Mas ele existe e é bem claro: não queremos mais esta bandalheira.
Nem sequer o aparente bom desempenho das contas externas é um lenitivo, porque falta avaliar, de modo correto, o peso das maciças vendas de ouro ao exterior...
Enfim, quase apetecia cruzar os braços, continuar a criticar todos os que, no passado, fizeram asneiras e espúrias alianças, se não fosse a sensação de abismo que temos a cada passo que damos.
Por isso, penso que, neste momento, qualquer solução é boa, desde que passe pelo afastamento da camarilha fascista que governa o país.

PS.
Já não comentarei as "brilhantes soluções" do Borges. Infelizmente para ele, é já uma carta fora do baralho da vida.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial