quarta-feira, julho 06, 2016

Falcões e presas




À semelhança do que fez com a Grécia, o ministro alemão das finanças não vai desistir de pressionar o governo português, obrigando-o a continuar as políticas austeritárias experimentadas no governo PSD/CDS, com os resultados desastrosos que se conhecem.

O que importa ao ministro alemão não é o bem estar dos portugueses. O que lhe importa é a defesa do sistema financeiro alemão, mesmo que para isso tenha que pôr os portugueses, gregos, espanhóis e demais povos europeus a pão e água. Ainda não é a "solução final" mas, se não o travarem, não se sabe onde vai parar.

Tal como  o celerado nazi contou com a ajuda de traidores, que em cada país subjugado assumiam o papel de carrascos dos seus próprios povos, também o radical Schäuble tem aliados nos países que explora em benefício dos bancos alemães.

As intervenções das lideranças do PSD e do CDS em apoio das teses do ministro Wolfgang Schäuble estão no limite da traição. 


0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial