segunda-feira, junho 13, 2016

A grande divergência

"Eu vou à missa, ele não vai à missa", disse Marcelo Rebelo de Sousa  sobre o que o distingue do primeiro-ministro, António Costa.

No seu jeito bem-disposto, o Presidente da República desvalorizou essa diferença e não podia ser doutra forma porque o factor religioso não releva no exercício dos cargos que ocupam, nem de qualquer outro. 
A constituição é muito clara: A República Portuguesa é um estado laico. 

Os que se servem da religião para fazer política são parentes dos radicais do estado islâmico. O que os distingue é questão de grau.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial