terça-feira, agosto 30, 2016

Ratos de sacristia

Escondem-se nos gavetões puídos de séculos, disfarçados nos entrefolhos  dos paramentos naftalínicos.

Quando a noite desce, saem dos esconderijos e assaltam sem escrúpulos os lugares sagrados sob a  luz  indefesa das lamparinas que projectam as sombras gigantescas dos invasores sobre as naves despidas das igrejas. 
Alimentam-se do vinho que sobra nos cálices, das migalhas das hóstias e nem a cera fria escorrida dos castiçais escapa à voragem destes assaltantes noturnos. Só quando a luz do sol ilumina os vitrais, dando vida às igrejas desertas, recolhem aos confortáveis esconderijos, empanturrados.
Se algum rato de rua se arrisca a disputar-lhes o terreno, os ratos de sacristia tocam a rebate e num instante se forma um exército para defender a coutada:

 "PSD quer explicações sobre cobrança de IMI à Igreja";

"Assunção Cristas acusa Governo de "cegueira ideológica" por querer cobrar IMI à Igreja".



1 Comentários:

Às 30/08/16, 15:27 , Anonymous Anónimo disse...

quem paga o imi do largo do caldas?

o imóvel é propriedade do patriarcado. O arrendatário é o partido gay de portugal.

Paga o proprietário? mas lá não há missas - que se saiba.

Fica o proprietário isento pois o inquilino é um partido político?

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial