domingo, outubro 23, 2016

Saudades de Mário Nogueira


Nos últimos dias, vários comentadores (Paulo Baldaia, João Miguel Tavares…) têm estranhado que Mário Nogueira não tenha convocado greves nem manifestações contra este governo, à semelhança das que convocou durante os governos de José Sócrates, que muito contribuíram para a vinda da troica e o regresso da direita ao poder.
Porém, os Baldaias e Tavares que enxameiam a comunicação social não estranharam que Mário Nogueira se fizesse de morto durante os quatro anos em que Passos Coelho e Paulo Portas destruíram a economia e empobreceram o país.
A estranheza da direita é o reconhecimento de que no passado a FENPROF foi um seu poderoso aliado contra os governos do PS, uma nódoa de que Mário Nogueira não se limpará facilmente.
É certo que a geringonça não apaga a história nem a memória, mas que lhe sirva de exemplo para não cometer os mesmos erros.

Estranhar que um sindicato não faça greves contra o governo que está a repor os salários e as pensões esbulhados pelo governo Passos/Portas, é mais uma manifestação do cinismo em que a direita é costumeira. 

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial