domingo, setembro 16, 2012

À sombra do limoeiro

- Olha, o Portas está a falar
- Está bem, põe mais alto! – E deixei-me ficar à sombra do limoeiro.
De vez em quando, o cão levantava-se, sobressaltado por algum estranho que  se aproximava dos muros do quintal. Mas não resisti à lengalenga,  que me chegava pela porta entreaberta, e acabei  por adormecer.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial