domingo, dezembro 30, 2012

“Nosso Senhor lhe dê saúde!”

Lembro-me de tempos em que esta frase, “Nosso Senhor lhe dê saúde”, era o único consolo  dos pobres quando a doença lhes batia à porta. Médicos não havia, ou não se lhes chegava, que o dinheiro nem dava para as sopas.

Porém, de há uns tempos para cá, praticamente deixei de a ouvir. O que agora ouço, por vezes, são queixas dos tempos de espera nas urgências dos hospitais, onde, desde que existe o Serviço Nacional de Saúde, todos acabam por ser atendidos.
Não sei se é por o primeiro-ministro ter o livro de Salazar sempre à mão, como o fotografia abaixo  ilustra,  mas o que se constata é que o governo, neste com em outros domínios, parece determinado em que o país  ande para trás.
Pedir aos cidadãos para não adoecerem, e não agravarem as contas do SNS, é uma patetice de Natal que rivaliza com as de Pedro, o bobo. Ninguém em seu juízo, as pode levar a sério.

1 Comentários:

Às 01/01/13, 23:21 , Blogger J. Cosme disse...

Não há dúvida. Antes que seja tarde de mais, melhor será que os portugueses lhe respondam: "Vá com Deus"...

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial