quarta-feira, junho 11, 2014

Os “acordos” de Cavaco

Cavaco Silva só engana quem acabou de nascer, ou andou distraído nos últimos trinta anos.
Nunca fez um acordo político com ninguém. Governou despoticamente quando teve maioria e, quando se apercebeu de que o seu tempo tinha chegado ao fim, saiu pela porta dos fundos, desmaiando na tomada de posse de António Guterres, o seu sucessor no governo.

Depois disso, preparou o caminho para a vitória eleitoral da atual maioria, desancando o governo minoritário do Partido socialista. 

"Rejuvenesceu” ao dar posse a um governo da sua cor e, desde então, tem apoiado a atual maioria como um militante radical, assobiando para ar a cada chumbo do Tribunal Constitucional, e fazendo-se distraído perante as alarvices com que os membros do “seu” governo conspurcam a dignidade dos juízes.
Mas ainda tem a lata de ir à Guarda pedir consensos para o saque com que o “seu” governo está a destruir o pais e a lançar os portugueses na miséria.

Não! Nem ele nem o “seu” governo merecem o consenso de ninguém. Por cada dia que passam no poder, são anos de atraso que vão levar gerações a corrigir. A demissão é a única forma que têm ao vosso dispor para atenuar o mal que fizeram ao país.
Para isso há consenso, dizem as sondagens.

1 Comentários:

Às 11/06/14, 17:15 , Blogger soudocontra disse...

Apoio TOTAL ao seu texto. Obrigado
MCTorres

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial