segunda-feira, outubro 12, 2015

Tirar o tapete

Carlos Silva, um segurista que outro segurista (João Proença) pescou nas águas do  Banco Espírito Santo quando Ricardo Salgado ainda era  dono disto tudo, para liderar a UGT, saiu a terreiro para atacar António Costa e combater a hipótese de um governo  do PS apoiado  pelo PCP e pelo BE.

Fê-lo sem esclarecer tratar-se da sua posição pessoal, vinculando implicitamente  a central sindical que acaba de se distanciar das declarações do seu líder.

O segurismo que começou a minar o PS no tempo de Sócrates, não desiste enquanto não o diluir na direita,  destruindo-o como aconteceu ao partido socialista grego.

1 Comentários:

Às 12/10/15, 23:00 , Blogger Ermelinda Santos Silva disse...

Mas para já parece estar com pouca força. Estão anémicos. Porque são todos umas figurinhas pífias, a começar pela Beliché.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial