terça-feira, setembro 20, 2005

Carne para canhão

Fui obrigado a andar por lá, quarenta e três (43) longos meses! Uma vida, dirão alguns.
Acho que quando chegar aos 65 anos vou ter direito a uma pensão de 30 contos anuais por ter andado na guerra. Exactamente, 150 euros por ano!
Apesar da ameaça de lhes subirem a idade da reforma, os militares de carreira continuarão a reformar-se muito mais cedo.

Mas nada me move contra a tropa. Embora o pânico das emboscadas me perturbe a memória, os amigos que fiz são muitos mais do que os inimigos que esqueci.

Eram outros tempos, por vezes muito maus, mas aquela tropa não se acobardava atrás das mulheres nem tolerava reality shows.

3 Comentários:

Às 20/09/05, 14:49 , Blogger j disse...

Os tempos são outros, caro Amigo...
Os tempos de hoje são os do mais reles e ordinário "corporativismo". Que, por "acaso", também afectou os antigos e os modernos "combatentes".
Ora, valha-nos Deus!
Então e nós?! Aqueles que labutam a vida inteira, conseguem (se conseguirem!!!!) reformar-se aos 65, não têm quaisquer privilégios, se sujeitam ao serviço nacional de saúde, não têm horário de trabalho, não sabem a quem se dirigir para reivindicar o que quer que seja!!!
Então e nós?!
Não teremos direito a uma manifestaçãozita também???
Este blog é lido por muita gente que, se calhar, não gosta do meu desabafo. Mas não posso evitá-lo: Ora porra para isto!!!
(jcm)

 
Às 20/09/05, 14:49 , Blogger j disse...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

 
Às 20/09/05, 23:29 , Anonymous V. Castro disse...

Desabafo? seja. Mas de inegável justeza.
Que dizer mais ?
Cinquenta anos de mordaça e cachaporra, trinta de democracia, e estamos ainda em pleno forrobodó.
Como é curta, a memória colectiva.

VHC

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial