segunda-feira, setembro 17, 2012

O Noivado do Sepulcro



"Mulher formosa, que adorei na vida,
"E que na tumba não cessei d'amar,
"Por que atraiçoas, desleal, mentida,
"O amor eterno que te ouvi jurar?
...........................................................
Porém mais tarde, quando foi volvido
Das sepulturas o gelado pó,
Dois esqueletos, um ao outro unido,
Foram achados num sepulcro só.
(Soares dos Passos, 1826 – 1860)

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial