terça-feira, março 12, 2013

O raposo e o coelho

Claro que tinha de ser um raposo novinho, que só conheceu o Estado Novo nas sebentas e de ouvir dizer. Se tivesse vivido, saberia que durante o Estado Novo mais de metade da população era analfabeta, não tinha casa de banho, nem água canalizada nem electricidade, o telefone e o rádio eram luxos burgueses, e a televisão era um serviço que alguns cafés ofereciam por uma bica.
Quanto à visão europeia e democrática do ainda-mais-manhoso-que-um-raposo  de Santa Comba Dão, se não bastassem as centenas de presos políticos que passaram pela Pide, a forma vergonhosa como castigou o seu quase conterrâneo, Aristides Sousa Mendes, o cônsul de Bordéus que salvou dezenas de judeus da carnificina nazi, seria suficiente para se aquilatar da democraticidade da personagem que serve de modelo a este raposito.
Talvez seja por solidariedade geracional que o raposo ocupa hoje a sua coluna do Expresso a dar conselhos a Passos Coelho na forma de tratar os reformados,  ou melhor, os elefantes, usando a linguagem técnica do raposo. Segundo ele, o Passos tem coragem, e “ quer muito subir em cima deles (dos elefantes), mas não tem jeiteira.” Perceberam? O raposo até acha que se deve subir em cima deles, o Passos é que é um ganda nabo e não os sabe montar, yeah!.
Decididamente, os jovens turcos da direita portuguesa ainda não advogam a solução final para os velhos, mas são casos tão perdidos com perdido já estava Salazar quando quis continuar a governar orgulhosamente só, contra todo o mundo. Na Alemanha também há quem continue a venerar Hitler, mas não sei se escreve em jornais de referência.   

2 Comentários:

Às 12/03/13, 16:33 , Anonymous João disse...

Ó Raposo, agarra juízo!
Olha que eu, no tempo de Salazar/Caetano,até aos 20 anos, vivi numa casa sem água e luz, sem casa de banho, com chão térreo...
A comida era uma grande panela de sopa que dava para toda a semana... etc etc etc!
Graças ao 25 de Abril, arranjei um emprego razoável sem ser preciso cunha, dei um curso superior aos meus dois filhos e tenho uma habitação aceitável.
Agora, temo pelo futuro dos meus netos, pois os herdeiros de Salazar/Caetano aí estão outra vez!

 
Às 12/03/13, 17:57 , Blogger J. Cosme disse...

É mais um revisionista, na senda de outros (vide, o Ramos da história de Portugal...) que o dito jornal tem dado a conhecer ao mundo!
Já não tenho grande paciência para discutir com tais figurantes. Prefiro mandá-los para o caixote do lixo.

PS.
Porém, não os perco de vista...

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial