quarta-feira, agosto 26, 2015

O governo vai nu no Metro do Porto


Na privatização da TAP, que o governo aprovou num frenesim, a falcatrua tresanda à distância. A triste figura do empresário português que nominalmente tem a maioria do capital mas nada manda, faz lembrar aqueles pequenos clubes de futebol que servem de “barriga de aluguer”, contratando formalmente jogadores destinados a clubes grandes  cuja contratação lhes está vedada.
Não querendo ficar por aqui, a poucas semanas das eleições que provavelmente o apeiam do poder, este governo tenta a todo o transe queimar os últimos cartuchos de uma legislatura que se caracterizou por aumentos de impostos, corte de salário e pensões, e privatizações a todo o gás.
O caso dos transportes coletivos do Porto é paradigmático da sanha autista com que o governo prossegue as privatizações. Depois de o concurso ter ficado deserto, sem ouvir ninguém, nomeadamente os autarcas da região metropolitana do Porto, o governo decidiu privatizar por ajuste direto, atirando às malvas a transparência do concurso público.

É preciso descaramento!


0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial