quarta-feira, julho 12, 2017

Tristes festejos

Um incêndio catastrófico e o roubo de sucata militar  de um armazém mal guardado deram à oposição de direita a motivação para fazer um alarido  ensurdecedor.
Ambos os casos estão a ser investigados mas nem o PSD nem o CDS  querem saber de investigações. Só falam em demitir ministros. 

Embora os fogos florestais se repitam ano após ano, o de Pedrogão teve  consequências desastrosas, nomeadamente em vidas humanas.

No entanto, explorar a perda de vidas humanas com objectivos político-partidários, além de ser eticamente reprovável, não ajuda na solução dos problemas resultantes,  nem contribui para que estas tragédias não se repitam. É apenas baixa política.


Sendo uma questão estritamente militar, arrastar o roubo de Tancos para a esfera política - como pretendem os citados partidos -, é uma manobra demasiado óbvia para ter sucesso. Por outro lado, além de envenenar o ambiente político e social,  não abona nada ao respeito que a instituição militar lhes devia merecer.

Os partidos que deitam foguetes quando as tragédias atingem o país são partidos doentes. Para governar o país precisam de se regenerar. 

1 Comentários:

Às 12/07/17, 22:55 , Blogger manuelpereirabarros Meira disse...

O Marquês de Pombal,após uma tragédia incomparávelmente maior que a de Pedrogão,com o Malagrida a gritar que era castigo divino e a fradalhada a dizer que era o fim do Mundo a chegar,afirmou: enterremos os mortos e cuidemos dos vivos! Ninguém de senso se sentiu ofendido e a reconstrução recomeçou. Tenhamos,agora mais modernos e civilizados a coragem de lhe seguir o exemplo! Mãos a obra!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial