quarta-feira, agosto 30, 2017

"Assalto ao castelo"

A greve que hoje afecta a Auto Europa está a ser designada por antigos representantes dos trabalhadores daquela empresa como "um assalto ao castelo".
Ouço na televisão um eufórico grevista clamando vitória porque hoje não saiu nenhum veículo das linhas de montagem da Auto Europa, donde costumam sair 400 por dia...

Acho que a euforia do grevista não se justifica. Ao invés, se eu fosse trabalhador da Auto Europa estaria preocupado.

Sobretudo se a greve foi, como alguns afirmam, uma manobra dos sindicatos da CGTP para controlarem uma empresa que tem escapado ao seu domínio .

Durante 25 anos, os trabalhadores da Auto Europa souberam estabelecer acordos sem recurso a paralisações. A CGTP não tem um currículo famoso a fazer acordos. Começar por fazer uma greve para assinalar a sua entrada  não augura nada de bom.

Ouço também um dirigente do sindicato afirmar que não teme a deslocalização da empresa para fora de Portugal. Não sei se este dirigente sindical é trabalhador da Auto Europa, provavelmente não é.
Em qualquer caso,  estas declarações indiciam uma leviandade provocatória, que  pode pôr em risco a estabilidade laboral de muitos milhares de famílias  que dependem directa ou indirectamente daquela empresa.

Brincar com o fogo não costuma dar bom resultado.

1 Comentários:

Às 30/08/17, 22:41 , Blogger J. Cosme disse...

Quem não Chora, não mama!!!
Muito interessante o modo como o Chora e todos os seus "amigos" se borrifaram, ao longo dos últimos anos, na forma como as comissões de trabalhadores da Alemanha sempre defenderam os seus interesses em todas as fábricas alemãs!
Que pena me faz a forma como são condenados todos os trabalhadores da Autoeuropa!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial