domingo, outubro 08, 2017

Convém não esquecer

Depois de aprovado em Bruxelas com a benção de Angela Merkel, o PEC IV foi chumbado no parlamento português com os votos do PSD, CDS, PCP e BE, abrindo caminho à vinda da Troica e ao governo de Passos e Portas.

Se o PCP e o BE não tivessem acompanhado a direita, talvez se evitasse a vinda da troica, como aconteceu em Espanha, e Passos Coelho talvez não tivesse sido primeiro-ministro. 

Quando finalmente o PCP e o BE perceberam o erro e formaram a Geringonça com o PS, Passos e Portas já tinham vendido os CTT, a TAP, a ANA e os portos, e o maior banco privado português, o BES, tinha desaparecido.
Como tardiamente o FMI também reconheceu, a política seguida pela governação Troica/Passos Coelho estava errada e  o resultado foi desastroso. 

Dourar a pílula, como tenta Marcelo Rebelo de Sousa perante o descalabro do seu partido, não apaga a memória dos portugueses.

1 Comentários:

Às 08/10/17, 20:17 , Blogger Francisco Clamote disse...

É preciso lembrar a verdade muitas vezes. Boa gente e com boa memória é pouca.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial