domingo, junho 11, 2017

O homem que queria ser primero-ministro

Chegou a escrever um livro onde expressou o que faria se fosse primeiro-ministro. Não o li, mas não me admiraria se tivesse servido de inspiração a Passos Coelho. Numa gala da SIC, houve  quem lhe chamasse primeiro-ministro mas, por enquanto, limita-se a entrevistá-los. 
Tudo depende da cor do entrevistado: se a cor for a mesma do entrevistador, a entrevista é um laudatório; se não for, é um combate corpo a corpo. No "jornalismo" do José Gomes Ferreira não há meias tintas: ou são por ele ou contra ele.
Parece que recentemente "entrevistou" António Costa. Escrevi parece porque há muito que não tenho paciência para assistir aos programas militantes deste falso jornalista. Porém, pelos ecos  que me chegam,  António Costa  conseguiu sobreviver aos ataques do minorca que terá tentado atribuir ao governo passista os méritos da actual governação. A voz do dono voltou a fazer-se ouvir.

1 Comentários:

Às 11/06/17, 22:57 , Blogger victor sousa disse...

mas o JN de hoje, apresenta uma revista aos acontecimentos da semana, onde uma "jornalista" refere que o JGF resistiu muito bem às provocações do AC! De modos que o amor corporativo faz milagres. A mim até lembra aquele aforismo popular que diz que "quem ama, até a m... lhe parece bonita".

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial