domingo, dezembro 31, 2017

Pisar o risco

"... o Presidente encontrou naquilo a que se chama os “afectos”, que de afectos tem pouco, uma fórmula de aumentar tanto a sua popularidade que ela lhe serve de poder em matérias em que constitucionalmente não se devia meter."

Um professor de direito constitucional que "esquece" a separação de poderes quando se torna presidente da República, não tem desculpa nem atenuantes.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial