domingo, janeiro 21, 2018

A verdade vai-se sabendo

A segunda metade de 2017 foi dominada pelos fogos florestais. A comunicação social apoderou-se da desgraça alheia, com as televisões a incendiar os ecrans de manhã à noite.
Incapaz de resistir ao chamamento populista, o presidente Marcelo prestou-se a uma demonstração de oportunismo político, a coberto de uma subjectiva afectividade, liderando um sentimento que fez recair sobre o governo actual a responsabilidade por décadas de negligência na gestão florestal e de absurdas impunidades com criminosos incendiários.

A possibilidade de os incêndios serem de iniciativa criminosa, não preocupou o presidente nem a oposição de direita, que usou tragédia dos incêndios como plataforma para atacar o governo.

Que outra explicação haveria para deflagrarem, numa só noite, mais de quinhentos fogos a norte do Tejo?
A dimensão e a notória coordenação destes crimes pressupõe uma organização ainda por identificar...


2 Comentários:

Às 21/01/18, 14:29 , Blogger J. Cosme disse...

Nem nunca se irá descobrir. Mas eu dou uma dica: não terá sido o Adamastor, vencido pela força de vontade de alguns portugueses?
É caso para pedir encarecidamente à sra. PGR que mande investigar, e com a urgência necessária. Não se dê o caso que aconteça o mesmo que aconteceu aos submarinos. É que, neste caso, o Adamastor levou a melhor e esfregou as manápulas de contente...

 
Às 21/01/18, 19:48 , Blogger jose antunes disse...

Ou o que aconteceu aos pequenos da IURD ....

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial