sexta-feira, dezembro 19, 2014

Cuba - Estados Unidos, um afastamento contra natura

A distância entre Havana e Miami é de 366 quilómetros, cerca de metade da distância entre Lisboa e Madrid e  pouco mais que entre Lisboa e Porto. No entanto,  a distância entre Havana e o ponto mais meridional do Estado da Florida, Key West, é de apenas 166 quilómetros, bem menos do que a distância entre Lisboa e  qualquer ponto da fronteira espanhola...
Como é que dois países tão próximos ficaram tantos anos tão distantes?
A revolução cubana, nunca compreendida pelos Estados Unidos, a crise dos misseis de 1963, a escalada da Guerra no Vietname, seguida da détente entre os Estados Unido e a União Soviética, ajudam a explicar o tardio reatamento das relações diplomáticas entre os dois vizinhos.
O que se estranha é que tenha sido necessário esperar mais de duas décadas após a queda do Muro de Berlim e do fim da União Soviética para que os Estados Unidos acabassem com o embargo isolacionista que impuseram a Cuba e estendessem a mão ao seu vizinho do sul.
O embargo a Cuba, decretado pelo presidente Eisenhower em fim de mandato, ficará para a história como uma manifestação de abuso de poder de um país sobre outro, em violação do direito internacional e de várias recomendações das Nações Unidas. Nada de que um país que se reclama da liberdade e da democracia se possa orgulhar.

Vale mais tarde que nunca, dir-se-á. No entanto fica a sensação de que há muito esta injustiça poderia ter sido corrigida.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial