sexta-feira, janeiro 08, 2016

A televisão e a universidade

Marcelo Rebelo de Sousa é professor universitário. Porém os portugueses conhecem-no da televisão. Mesmo a sua imagem como homem do PSD, de que foi presidente, fica esbatida pela avassaladora presença televisiva. 

A regularidade semanal das suas intervenções televisivas ao longo de tantos anos foi um verdadeiro reality show produzido e realizado a seu bel-prazer.
Enquanto Marcelo Rebelo de Sousa entrava todos os domingos em casa dos portugueses à hora de jantar, apoiando a política de direita no disfarce do comentário, o ex-reitor Sampaio da Novoa dedicava-se à universidade, algo que para o antigo presidente do PSD é imperdoável.

Ambos são candidatos à presidência da República, e pelo que leio sobre o debate entre os dois, o ex-reitor terá obrigado o comentador-candidato a sair da sua zona de conforto, confrontando-o com o apoio que deu semanalmente ao governo de Passos Coelho e à política de austeridade.

Por mais  que  o comentador tente descolar de Passos e Portas, o ADN da direita conservadora acomopanha-o desde o berço, sendo natural o apoio dos partidos de direita. O que não é natural é Marcelo fingir-se de esquerda, que nunca foi nem será.

Desde Salazar a Cavaco Silva, a direita portuguesa nunca se assumiu como tal, gostando de se fingir de esquerda para enganar o povo. 
Marcelo Rebelo de Sousa não é diferente. Tem é mais horas de maquilhagem...



1 Comentários:

Às 08/01/16, 08:46 , Blogger Célia disse...

O homem não está preparado para o contraditório, após tantos anos em monólogos. O seu desconforto foi notório, traduzindo-se num discurso inseguro, pouco convincente. Tom agressivo e de um-quase-mão-na-anca. Patético.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial