terça-feira, fevereiro 19, 2019

A queda

Dizem as sondagens que a popularidade do presidente Marcelo está a baixar. Dizem também que, em igual tempo de presidência, a popularidade do actual presidente fica abaixo da popularidade de Cavaco Silva. Porque será?

A popularidade de Marcelo Rebelo de Sousa assenta num populismo que se esvai em selfies e beijos a velhinhas. Nada disto subsiste perante o vazio resultante da actuação do presidente que só
se vê por reflexo da actividade do governo.

Na prática, a popularidade do presidente está dependente do governo. Assim se explica o resultado das sondagens.

domingo, fevereiro 17, 2019

Perder o vôo

Talvez tenha sido a perdida menos relevante da sua carreira (política).

Não é alto, mas voa muito baixinho...

sexta-feira, fevereiro 15, 2019

A ambição da rã

Enquanto presidente do CDS, Assunção Cristas ainda não se sujeitou ao sufrágio dos eleitores. Porém isso não a inibe de se assumir como a principal oposição ao governo, relegando o PSD para um papel subalterno.

segunda-feira, fevereiro 11, 2019

Proteger a Serra da Estrela

Nos incêndios da mais alta ( e por que não a mais bonita?) serra de Portugal, terão morrido centenas de ovelhas da raça autóctone que produz o leite para o afamado "queijo da serra".
Proteger o queijo, de que sou um obstinado consumidor, passa por proteger as ovelhas que retoiçam  a serra, controlando os pastos que originam os incêndios.
Ė proteger a serra.

domingo, fevereiro 10, 2019

O partido de Santana Lopes

O partido, a que o seu fundador chamou "Aliança" deu ontem inicio ao seu primeiro congresso em Évora, numa sala cedida pela autarquia comunista...

O primeiro dia de trabalhos foi encerrado por Santana Lopes (who else?), que caracterizou o recem-nascido como "um partido das direitas mas onde cabem pessoas de centro e da esquerda moderada".
Por esta descrição conclui-se que Santana Lopes pode ter saído do PSD, mas o PSD não saiu dele...
Para além disso, o discurso de Santana foi um ataque generalizado a todos os partidos, em particular os da geringonça, com o presidente a levar por tabela.
Nada de novo portanto. Apenas mais discurso egocêntrico do menino guerreiro, agora mais entradote.

quinta-feira, fevereiro 07, 2019

Greves políticas

As greves não são todas iguais, embora usem  justificações semelhantes.
Há as greves reivindicativas, com objectivos meramente económicos, e há greves políticas, imbuídas de intuitos ideológicos.

A recente greve dos enfermeiros foi  entendida pelo governo nesta última categoria. Porquê?

Quando se exige um aumento de 400 euros mensais não se pode esperar razoabilidade. De facto, a não ser que o salário médio dos enfermeiros fosse muito superior ao dos restantes trabalhadores do estado, um aumento deste montante corresponderia a uma percentagem a raiar o escândalo.

Por outro lado, o facto de a greve ter sido financiada por entidades ainda desconhecidas publicamente, não  contribuiu para a transparência dos seus objetivos.

"Quem não quer ser lobo, não lhe veste a pele", diz o povo.

segunda-feira, fevereiro 04, 2019

Regiões, sim ou não

Pela minha parte, não. Queixam-se de Lisboa por ser centralizadora.
No entanto, quanto às regiões que já existem, centralizam tudo o que podem, acumulam dívidas e a democracia tem  déficit de escrutínio para ser credível.

sexta-feira, fevereiro 01, 2019

À tripa forra

"Ir ao pote" não é exclusivo de altos cargos.
Basta mexer em dinheiros públicos, que nos privados pia mais fino...

quarta-feira, janeiro 30, 2019

Piar tarde

Era mais útil terem-se candidatado. Dispensava-se o ressaibo...

segunda-feira, janeiro 28, 2019

O herói da taça

Terá sido o guarda-redes do Sporting por defender os penaltis. 
Mas há quem diga que foi o presidente, Frederico Varandas que, ao descer da tribuna para se juntar aos festejos, viu um adepto em dificuldades e de imediato o assistiu e ali ficou até chegar o INEM.
Um médico que conhece as prioridades...

domingo, janeiro 27, 2019

Futebol também é isto... Infelizmente

Narizes partidos, medalhas que servem de fundas, o futebol dá para tudo. 

sexta-feira, janeiro 25, 2019

Marcelo em derrapagem

Não sei se foi o excesso de selfies, ou apenas mais uma cedência ao populismo, mas as sondagens já vinham apontando uma descida da popularidade do Presidente da república.
Os indícios do desvario vão-se acumulando.
A nomeação de João Miguel Tavares para comissário das comemorações do dia de Portugal foi uma  cedência à extrema direita.
Para quem se vangloria de ter conseguido a convivência entre a esquerda e a direita, ė um tiro no pé.


quarta-feira, janeiro 23, 2019

Queimar caixotes de lixo

Que me desculpem os que arranjam desculpas para tudo. Eu não sou assim. 
Os actos de vandalismo, como queimar caixotes de lixo e vandalizar automóveis, são protogonizados por marginais sem respeito pelos demais cidadãos.
Apoio sem tibiezas a repressão desses comportamentos por serem contrários à vida em sociedade. 
A sua tolerância é intolerável.
As forças políticas que os manipulam são inimigas da democracia.

segunda-feira, janeiro 21, 2019

Uma coligação de direita

Pedro Santana Lopes saiu do PSD para criar um partido a que chamou Aliança.
Mais recentemente, ilustres do PSD tentaram derrubar o líder, Rui Rio.
Assunção Cristas farta-se de proclamar que ela é que é a verdadeira alternativa ao primeiro-ministro.

Perante este cenário de manta de trapos, a proposta de Santana Lopes para uma coligação de direita serve apenas como prova de vida.

quinta-feira, janeiro 17, 2019

O país das maravilhas

No país da cunha, só há um cidadão preso por tráfico de influências...

domingo, janeiro 13, 2019

Golpadas

2019 vai ser ano de eleições. Se dúvidas houvesse, aí está a agitaçao pré-eleitoral, com gente  a pôr-se em bicos de pés para a elaboração das listas...

No PSD, a agitação pretende transformar-se em terramoto, havendo vários candidatos a questionar a liderança.
Temendo que os cargos obtidos sob anteriores lideranças não sejam confirmados pela actual, alguns ilustres do partido  não se importam de abrir uma crise subordinada ao seu interesse pessoal.
Um típico golpe de palácio.

Se tudo ficasse na mesma, nunca haveria evolução política, nem renovação geracional.

sábado, janeiro 12, 2019

Ora agora prendes tu, ora agora prendo eu..

A China tem respondido da mesma moeda, prendendo cidadãos desses países "apanhados" em território chinês.

Na realidade é uma luta pela liderança económica, tradicionalmente em mãos ocidentais, mas que  o gigante chinês se prepara para conquistar.

quarta-feira, janeiro 09, 2019

Se não pode ser até Belém

domingo, janeiro 06, 2019

Emendar o erro



Fez bem porque, dar tempo de antena a criminosos que defendem ideias contrárias à liberdade de imprensa, à democracia e à constituição, é um acto suicida.

sexta-feira, janeiro 04, 2019

Dispenso

Entusiasmada por trumps e bolsonaros, a direita que nunca se enquadrou na democracia aposta no aparecimento de um novo Salazar.

Que eles estão mortinhos por isso não admira, nem surpreende.

Que nos venham dizer que o país precisa de outro ditador só se entende pelo desfasamento  histórico  de que essa gente padece.

Nota: Quem disse que o país precisa de .novo Salazar foi um jornalista que não tem idade para ter conhecido o velho... 
Felizmente para ele, agora ninguém vai preso por dizer estas bacoradas.

terça-feira, janeiro 01, 2019

Entradas de leão?

2019 começa com a posse do novo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, segundo alguma imprensa, inequivocamente um homem da extrema direita.

Portugal fez-se representar na posse pelo presidente da república, que terá sido o único chefe de estado europeu presente na cerimónia.
Compreende-se.
As relações entre Portugal e o Brasil não devem andar ao sabor das conjunturas.
Porém, o surgimento de regimes fascisantes em algumas democracias é preocupante.

Esperemos que as ameaças verbais não passem de entradas de leão.



Bom ano 2019

Votos de um óptimo 2019 para os visitantes de "A Forma e o Conteúdo".

sábado, dezembro 29, 2018

O criativo

Já tínhamos o Marcelo dos afectos,  o Marcelo das selfies (populista), mas agora o que está a dar  é o Marcelo que gosta de entalar António Costa.

As personagens variam, porém o actor é sempre o mesmo.

Na tentativa de agradar aos professores, Marcelo não se limitou a vetar o decreto do governo: quer que o governo ceda, aconselhando-o a ser "criativo".

Na sua ânsia de protagonismo, Marcelo nem hesita em invadir a esfera de competências do governo, mandando às malvas a separação de poderes.

Sobre a guerra dos professores contra o governo, os portugueses têm opinião formada e sabem que  não é boa prática democrática tentar ganhar na rua o que não se consegue pelo voto.

Marcelo também o sabe mas, dando-lhe jeito, não é exigente com os aliados.

terça-feira, dezembro 25, 2018

Os coletes da extrema direita

Segundo o ministro francês da economia digital, embora o movimento dos coletes amarelos tivesse origem francesa, houve posterior interferência estrangeira de extrema direita, que já tinha sido relacionada com a eleição de Trump.

Os movimentos que se aproveitam das liberdades democráticas para minar a democracia não são novos: Nunca será demais recordar que Hitler foi eleito democraticamente e deu no que se viu.

A manifestação coleteira em Portugal foi um fiasco, mas a extrema direita estava lá. Ridicularizar a sua expressão não a torna menos perigosa.



domingo, dezembro 23, 2018

Boas Festas







Adeste fideles
Laeti triumphantes
Venite, venite in bethlehem
Natum videte
Regem angelorum
Venite adoremus,
Venite adoremus,
Venite adoremus
Dominum
En, grege relicto,
Humiles ad cunas,
Vocati pastores approperant;
Et nos ovanti gradu festinemus.
Venite adoremus,
Venite adoremus,
Venite adoremus
Dominum
Adeste fideles
Laeti triumphantes
Venite, venite in bethlehem
Natum videte
Regem angelorum
Venite adoremus,
Venite adoremus,
Venite adoremus
Dominum

sábado, dezembro 22, 2018

Jornalismo amarelo

A suposta manifestação dos coletes amarelos, que não chegou a acontecer por falta de quorum, foi um episódio mediático criado pela comunicação social e manipulado pela extrema direita, a força política que se aproveita destes protestos.

Os jornais fartaram-se de apregoar o objetivo da iniciativa: "Parar Portugal".
Porém, a sensatez do povo português deu a devida resposta aos pregoeiros da catástrofe, alguns dos quais esperaram até ao fim da tarde pelos anunciados milhares que nunca chegaram a aparecer em São Bento...

sexta-feira, dezembro 21, 2018

Coletes já ninguém usa

Pelo que se vê na televisão, os coletes amarelos tiveram pouca adesão. 
Na prática, limitam-se a ocupar as passadeiras nas ruas de algumas cidades.
A principal queixa que se ouve da boca dos manifestantes é que são poucos. 
Está tudo dito. 
A imitação do que aconteceu em França é isso mesmo: uma imitação que não teve em conta as diferentes realidades do país.

quarta-feira, dezembro 19, 2018

A coragem de Rui Rio

Nunca votei no PSD e raramente elogiei as suas iniciativas.
Tiro porém o chapéu à proposta de alteração da composição do conselho superior do ministério público feita por este partido.
Passar a haver delegados nomeados por órgãos sufragados pelo voto popular reforça a democraticidade deste órgão do ministério público, conferindo-lhe a legitimidade democrática de que carece.
As reações   corporativas  a esta possibilidade são apenas o exemplo muito comum em que um interesse corporativo tenta sobrepor-se ao interesse geral.
Apoiado PSD.

"O estado falhou!"

A queda de um helicóptero no último sábado tem sido notícia desde então. Pouco se sabe sobre as causas do acidente, algo que parece interessar pouco à comunicação social, que se tem preocupado basicamente em detectar falhas nos procedimentos de socorro.
Aqui chegados, como terá havido atrasos na comunicação entre as entidades envolvidas, a conclusão foi óbvia: o estado falhou.

O estado é o bode expiatório da irresponsabilidade nacional...

segunda-feira, dezembro 17, 2018

O corporativista

Marques Mendes usou o espaço que a SIC lhe dá para atacar Rui Rio, o líder do seu partido. Ele, que já foi um líder falhado da mesma agremiação, alia-se aos extremistas que não gostam do discurso moderado do actual líder.
Criticar Rui Rio por ter alertado para os processos judiciais, que não respeitam o segredo de justiça, prejudicando os suspeitos sem que haja acusação, é prestar um mau serviço à justiça e ao país.

Um dos principais problemas do país é a cedência aos corporativismos, e a área da justiça não está imune.
Em vez de o criticar, Marques Mendes deveria elogiá-lo neste caso.
Preferir o politicamente correto nem sempre é a melhor escolha.

domingo, dezembro 16, 2018

Grande Pepe

Segundo o jornal Marca, o Besiktas, clube onde joga Pepe, provavelmente o melhor defesa central que representou a seleção portuguesa, está com grandes dificuldades financeiras pelo que quer rescindir o contrato com alguns jogadores mais caros. 
Entre estes está o jogador luso-brasileiro que já terá chegado a acordo.
Como alguns trabalhadores do clube (cozinheiros, jardineiros da relva...)  estavam com salários atrasados, antes de sair, Pepe terá pago os salários do seu bolso.

Um homem grande, não apenas em altura...

A revolta dos desiguais

A Europa tem nas desigualdades o seu maior problema. 
Os coletes amarelos das ruas de Paris aí estão a demonstrá-lo.
As manifestações de reformados em Espanha, exigindo uma pensão mínima de 1080 euros, são outro sintoma.
Ainda não se percebeu bem o que subjaz à convocatória para a próxima sexta-feira de uma manifestação de coletes amarelos em Portugal, mas parece que alguém quer aproveitar a onda.
Acabar com as desigualdades não vai ser fácil, mas convém dar passos nesse sentido, antes que as revoltas se tornem mais sérias.

sexta-feira, dezembro 14, 2018

Culpas e desculpas

Culpar o governo por tudo e por nada é um hábito bem português, que coloca quem nos governa no papel de bode expiatório da nossa generalizada irresponsabilidade.

Se o governo responde, devolvendo a responsabilidade aos seus autores, estes exigem um pedido de desculpas ao governante que deu a cara.

Há lata para tudo e ai está a comunicação social sempre pronta para o bota abaixo.